Os causos de Lucia: sua bagagem

lucia

Conheçam Lucia.

Lucia é uma garota normal, de vinte e poucos anos e que como toda jovem tem desejos, segredos, angústias e muitas inseguranças sobre tudo. Mesmo sendo intensa, os últimos anos pra ela foram estranhos, complexos, complicados e confusos. Sim, um triplo C.

Nessa bagunça, acreditou em muitas mentiras e desconfiou de muitas verdades. Dispensou possíveis amores e amou muitas dores previsíveis. Não foi por maldade, mas talvez por inocência. Lucia só queria se encontrar no mundo. Sim, foi de uma forma errada, mas agora ela já sabe.

Se deixou levar pela paixão, pelo desejo e muito mais ainda pela solidão. Se apegou à migalhas que ela resolveu acreditar ser amor. Foi terapeuta para os outros por acreditar que amar é cuidar, mas esqueceu que a primeira a ser cuidada deveria ser ela mesma e, que quando a gente não recebe o mesmo cuidado, se sente apenas como uma muleta.

Foram solteiros mal resolvidos, solteiros que viraram namorados – mas de outras pessoas – e casados com a famosa frase do “meu casamento foi um erro” mas com nenhuma atitude compatível com o diálogo. Também houveram solteiros, mas aí rolou muita dúvida, muita cobrança e, principalmente, faltou paixão.

É claro que nenhuma dessas relações trouxe o que Lucia tanto queria, porque nem sequer deveria ter procurado por aí. Mas como dizer pro coração não se apaixonar?

Por mais que a mente grite “fuja”, ela sempre teima em ficar, em confiar, em se entregar… Como tudo o que fez, fez com carinho, amor e consideração, seu arrependimento mesmo é de ter começado, porque agora, como esquecer de todos os beijos, cheiros, texturas, suores, sabores e tesão? Como não sofrer com tanta paixão guardada para amores impossíveis e desnecessários?

Lucia quer achar seu caminho, abandonar o passado e suas tentativas fracassadas, só não sabe onde deixar toda essa bagagem e parar de se julgar, de esperar, de se sabotar e de se prender ao nada. Ela é só uma garota de vinte e poucos anos que quer se encaixar em si mesma, com o desejo de somar mas sem que subtraiam dela. É impossível?

Hoje ela só segue com a sua mala de saudades daquilo que não teve e que não aconteceu, caminhando meio flutuando e meio com os pés no chão, como a sentimental Lucia de sempre: que sonha, espera, confia, que ama e que se entrega, torcendo para que da próxima vez se entregue mas que continue se amando acima de tudo.

Lucia hoje sabe que precisa deixar todas essas coisas no lugar onde elas precisam estar: no passado.

Deixe uma resposta