Livro lido: No mundo de Luna

capa-carina

Oie!

Eu já estava apaixonada pela Carina Rissi desde Perdida e Encontrada, mas depois de No mundo da Luna eu definitivamente virei fã de carteirinha da autora.

Eu nunca vi alguém para ter o dom de descrever pessoas e personalidades como ela. Aliás, os personagens são tão reais… seus defeitos, qualidades, medos e piras (coisa que a Luna tem de muito).

Também gosto da veia “mística” que as histórias dela tem, sempre citando as consequências de nossas escolhas e como o destino “funciona”.

carina-post

Dante, é o personagem masculino que eu mais me apaixonei nos últimos tempos: ele é nerd, carinhoso, prestativo e cuidadoso… mas também é cheio de defeitos, que o torna alguém tão humano, que eu estou quase procurando ele no Facebook 😛

Enfim, sabe aquele livro que você sofre, ri e se emociona junto? É esse! Me peguei diversas vezes gargalhando ou com um sorriso no rosto enquanto lia e, se causa alguma dessas sensações, é definitivamente um livro que vale a pena ler.

Ele deslizava os dedos sobre minha pele, e, onde quer que tocasse, eu ganhava vida, me tornava radiante, desejada… linda.

Eu me sinto de muitas formas com você, mas, se fosse para escolher uma única palavra para definir, eu diria que me sinto vivo. E gosto de me sentir assim. Então gosto de estar perto de você e, por consequência… gosto de você.

Qualquer pessoa pode transar três vezes sem querer com alguém de quem não está a fim.

Meu coração meio que deu uma cambalhota e meu estômago foi invadido por uma sensação trêmula e fria, depois quente e borbulhante. Eu estava com sérios problemas.

A insegurança sempre nos faz querer, ter, precisar, possuir, colecionar coisas ou pessoas, mas não seria melhor, em vez de possuir alguém, ser escolhido por esse alguém e ter a escolha também?

Os lábios dele se esticaram de leve, daquele jeito que o deixava parecendo um menino e, ao mesmo tempo, muito sexy. Aquele que ele usava só comigo, quando estávamos na cama e éramos apenas ele e eu, sem rótulos.

Eu não queria saber seu futuro. Pronto, foi isso. EU não queria saber o que o destino traçou pra você. Quebrei a xícara porque eu não suportaria saber que… que eu não faria parte dele.

Relacionamentos não admitem egoísmo. Individualidade e opiniões diferentes, sim. Egoísmo, jamais. A partir do momento em que um se importa mais com o próprio bem-estar do que com o do outro, a relação está com os dias contados.

Ele não era o príncipe encantado que eu havia esperado a vida toda. Definitivamente não era a pessoa certa para mim. Mas quer saber? Eu não queria a pessoa certa. Não queria alguém que chegasse no momento certo, que fizesse sentido. Não, eu queria a pessoa errada! Queria perder a cabeça e o sono, fazer loucuras das quais me arrependeria mais tarde, brigar, gritar para em seguida chorar e rir em seus braços.

Autora: Carina Rissi
Nota: ★★★★★
Páginas: 476

 

Livro lido: How to speak English fluently

capa-how

Oie!

Baixei esse livro sem muitas pretensões no Kindle Unlimited. Queria apenas um livro curtinho para ler em inglês e comecei a leitura no voo de Fortaleza x São Paulo. Como só tinham 50 páginas, terminei rapidinho, mas gostei muito!

Além de dicas para aprender inglês sem transformar isso em algo maçante e obrigatório, as técnicas descritas podem ser usadas para todos os projetos que você deseja por em prática na sua vida (algumas inclusive são citadas em livros sobre produtividade).

how-post

A autora também tem um site, cheio de dicas para aprender inglês, chamado English Tonight.

Instead of focusing on what you can’t do right now, focus on what you can.

Mistakes are good; no…EXCELLENT! The more mistakes you make the faster and more you will learn.

By trying your best and focusing on learning more, you will learn English. If you focus on the negative, like telling yourself that you don’t know how to say something or that people will laugh at you if you pronounce something wrong, you are hindering or stopping your learning!

Don’t let your negative feelings determine what you do in life.

When you are positive or excited about something you feel good.

You learned to speak your native language naturally. You learned by making mistakes.

It can be intimidating but don’t be afraid. Your English speaking skill won’t get better if you don’t try.

The best way to actually meet your goals is to take action – don’t wait; do it today!

Autora: Janet Gerbet
Nota: ★★★★☆
Páginas: 50

Eu fui: 5 dias em Fortaleza

Oie!

Eu não tinha planos de viajar nas minhas férias desse ano, que foram em junho. Parte porque estava muito cansada (só consigo descansar de verdade estando em casa) e outra parte porque não tinha me apaixonado por nenhum destino até então.

Como estava muito frio no começo do mês, tudo o que me animava era ficar na cama. Então, por sugestão do meu parceiro de viagem e primo (além de dicas da minha amiga Thais) o nordeste virou uma opção para aquecer a vida.

Optamos por Fortaleza pelos passeios e também valores. Como fechamos apenas 1 semana antes, provavelmente pagamos muito mais caro do que se você fechasse com 3 meses de antecedência, mas achamos justo assim mesmo.

Para facilitar os passeios – já que as praias do centro não são as melhores para banho – alugamos um carro com a Hertz. O hotel escolhido foi o Bristol Jangada – pela localização e por ter estacionamento.

Dia 1: Praia de Cumbuco

Vista da Lagoa do Banana

Chegamos domingo de madrugada no hotel e 7h já estávamos de pé. Nosso primeiro passeio foi até a praia de Cumbuco, que fica a 35km do centro de Fortaleza. Logo que chegamos perto da praia, já fomos recebidos por guias locais que nos ofereceram o pacote de passeio de bugue.

Fechamos por R$250 (se você tiver com quem dividir, compensa muito mais) e ainda há a opção de passeio “baby”, que é feito com o guia também, mas no seu próprio carro, sem muitas emoções nas dunas – para quem está com criança, acho mais seguro. Deixamos o carro em um estacionamento de um quiosque indicado por eles e partimos de bugue.

Andando pelas dunas, nossa primeira parada foi em um lago com possibilidade de fazer skibunda. Pagamos R$15 por pessoa para brincar por lá. Apesar de ser livre, só aguentamos descer três vezes cada um. Simplesmente porque depois de descer, você tinha que subir pela areia segurando a prancha de madeira (!!!!). Estou com dores nas pernas até hoje!

skibunda em cumbuco

A segunda parada já facilitou o processo, também era possível brincar de tobogã (R$15 para ir quantas vezes quisesse) e tirolesa (R$15 para ir duas vezes ou R$20, para três vezes). Lá embaixo, você contava com um carrinho pra te ajudar a subir, então foi muito melhor. Apesar das descidas de tobogã serem livres, eu na primeira já me machuquei por conta da força da água x biquini, então nem fui mais (aconselho às meninas a irem de shortinho :P).

A terceira parada foi em um super lago onde tem vários quiosques na margem e pessoas praticando kitesurf. Ficamos no quiosque indicado pelo guia e pedimos o prato mais “básico” por lá: um combo de peixe, camarão e lagosta. Foi uma super refeição que teria facilmente alimentado 4 pessoas. Tudo por lá é assim, o que eles dizem que serve 2, geralmente serve o dobro. Incluindo as bebidas e o serviço, gastamos R$206.

Lagoa em Cumbuco

Durante a noite, exaustos, sempre ficávamos perto da Avenida Beira Mar, passeando pela feirinha local. Escolhemos um restaurante aleatório e pedimos pizza (a gente sai de São Paulo, mas São Paulo não sai da gente). Conhecemos também a maravilhosa sorveteria 50 sabores, que é parada obrigatória! Como o próprio nome já diz, 50 maravilhosos sabores de sorvete! Queria ir lá todos os dias <3 A bola – que é gigante – custa R$12 e você pode colocar quanta cobertura quiser! #gordinha

Dia 2: Praia de Lagoinha

Passeio de quadriciclo em Lagoinha

A praia de Lagoinha fica no mesmo sentido de Cumbuco, mas a 124km de Fortaleza. O lugar nem sequer estava nos nossos planos (foi indicação do rapaz do hotel), mas foi de longe o passeio que eu mais gostei por lá <3

Chegando lá, também encontramos um guia, mas dessa vez era de quadriciclo que faríamos o passeio. Para nossa surpresa, quem ia dirigindo era a gente! :O O guia vai sentado atrás, guiando e ensinando como lidar com o lugar. Como o quadriciclo era automático, era basicamente acelerar e frear, mas foi o mais gostoso de tudo. Imagine um cenário paradisíaco, o mar, o vento no rosto e a sensação de liberdade de dirigir? Pois é.

Lagoa em Lagoinha

Nossa primeira parada foi em uma lagoa imensa que mais parece um rio. Nela você pode nadar ou descansar um pouquinho na rede. No lugar há espaço para eventos então o guia não recomenda os domingos por conta da bagunça.

Cachoeira em Lagoinha

A segunda parada foi na cachoeira que fica logo ao lado dessa lagoa. Lá é praticamente um viveiro de camarões (é possível ver os filhotinhos nadando na água).

Na volta, o guia sugeriu uma descida radical. Nesse caso, obviamente ele foi dirigindo. O frio na barriga super compensou. Muito mais legal que montanha russa! 😀 Indico muito o Marcelo, que foi nosso guia por lá. Extremamente divertido, simpático e muito honesto, vou deixar o contato dele aqui: (85) 99403-6574 e o passeio ficou em R$130.

Assim como em Cumbuco, deixamos o carro em um quiosque indicado pelo guia e repetimos o menu do dia anterior: peixe, lagosta e camarão. Mesmo sendo o mesmo prato do dia anterior, pagamos muito mais  barato e a lagosta estava muito mais bem preparada. Com as bebidas, tudo ficou R$88.

Praia de Lagoinha

A praia lá é muito tranquila e a visão é digna de cartão postal. Também é possível fazer amizade com as dezenas de cachorros e gatinhos que vivem por lá. Imagine se eu gostei? Amei.

De noite, optamos por um cachorro-quente 😛 Super recomendo o The Dogfather, todo temático, com lanches baseado nos personagens de O poderoso chefão. O povo lá é muito divertido! Com direito a show de dança gratuito por parte dos funcionários! 😛

O lanche mais pedido é o Corleone, que é feito de salsicha enrolada com bacon. Eu não estava com tanta fome, então fiquei com um basicão mesmo. De sobremesa? Claro que voltei no 50 sabores.

Dia 3: Beach Park

Entrada Beach Park

O parque fica a 22km de Fortaleza e é enorme, com vários tipos de brinquedos, incluindo o famoso Insano, que não fui insana o suficiente para ir. O bom é que de tanto subir escadas, meu condicionamento físico ficou bom na marra!

A única coisa ruim do parque são os preços, só para alugar um armário são R$25. O ingresso custa R$195. Como tivemos um problema com o carro no hotel, fomos de táxi, mas se você for de carro ainda tem o estacionamento, que não sei dizer o preço.

O tempo foi insuficiente para conhecer tudo. Acho que se você curte esse tipo de brincadeira, compensa ir dois dias. Como tudo molha, eu não quis arriscar meu lindo celular então não tenho fotos dos brinquedos, fuén.

A noite jantamos em um outro hotel, que tem o restaurante virado para a Av. Beira Mar. Como comemos porcaria no parque, a noite comemos um maravilhoso peixe ao molho de camarão <3

Dia 4: Canoa Quebrada

Falésia em Canoa Quebrada

Canoa Quebrada é um dos passeios mais conhecidos e também um dos mais distantes de Fortaleza. São 156km e mais ou menos 3 horas de viagem (as estradas por lá são 60/80km e cheias de radares. Se você reclama de SP, experimente ir pra Fortaleza). Os passeios por lá também são feitos de bugue entre as dunas e as falésias (que são aquelas areias coloridas, usadas para fazer aquelas lembranças em garrafinhas).

Tirolesa em Canoa Quebrada

Também já fechamos o passeio logo que chegamos na cidade e deixamos o carro em um super quiosque, com piscina e tudo, de frente pro mar. O bugue custou R$160 e nos levou pelas principais vistas de lá. A primeira parada também foi em um lugar com tirolesa. Chegando lá já fomos conquistados pelo Sidney, responsável pela brincadeira. O povo cearense é realmente muito engraçado (e sabem como arrancar seu dinheiro com sorriso no rosto). A brincadeira custou R$10 por cada descida.

Como chegamos tarde, perdemos as principais paradas que eram em piscinas naturais =/ mas a maré já tinha descido e não tinha mais piscina, snif. Mas a vista e o passeio pelas dunas compensou assim mesmo.

A noite fomos de novo comer pizza na Av. Beira Mar, mas dessa vez na Pizza Hut. Infelizmente, pelo calor ou pelas porcarias que andei comendo, meu fígado resolveu dar PT bem na hora de comer. Acabei largando a comida e minha cerveja que estava tão geladinha! Que tristeza.

Paramos também na feirinha para comprar os presentes dos amigos/família. Indico a barraca Chega Mais do casal Nilton e Tati. Compramos castanhas em um ótimo preço por lá. Eles são paulistas que largaram essa confusão toda e decidiram viver naquele paraíso, mas eles enviam pedidos via Correios =D Vou deixar o contato também: (85) 99757-4299 | (85) 98688-0193 | tatiane_guerim@hotmail.com.

Dia 5: Praia do Futuro

Crocobeach

Como nosso voo era as 14h, conseguimos aproveitar a manhã na Praia do Futuro. Ficamos especificamente no quiosque Crocobeach. É um dos pontos mais conhecidos por lá por ser um super complexo. É um espaço enorme, de frente para a praia. Tem piscinas, brinquedos para crianças, shows e até a possibilidade de fazer uma boa massagem <3

Não deu para aproveitar tudo isso, mas super recomendo a passada por lá. Fica a 6km do ponto onde estávamos =) Na praia, foi possível até comer um verdadeiro caju: docinho, suculento e saboroso – nada parecido com o que é vendido aqui.

˜

O post ficou enorme, mas tentei ser o mais detalhista possível para que ajude a quem quiser conhecer Fortaleza. Infelizmente, como vocês puderam perceber, não é um passeio muito barato (eu gastei muito menos na Argentina, por exemplo), mas valeu cada centavo.

Realmente vivemos em um paraíso maravilhoso e infelizmente muito mal cuidado. Assim como SP, Fortaleza tem problemas sérios de segurança e manutenção pública. As praias mais distantes são lindas e limpas, mas obviamente as do centro já estão praticamente impróprias para banho.

Apesar desse lado triste, foi um passeio muito feliz e revigorante!