10 coisas que aprendi aos 26

Oie!

Ano passado, no meu aniversário, listei as 25 coisas que eu tinha aprendido. Criando uma tradição aqui, voltei para listar 10 coisas que aprendi aos 26.

Obs.: Foram 10 porque a lista daqui pra frente só vai ficar maior, maior e maior… 😛

1. Não aceite menos do que você merece

via GIPHY

Acho que uma das coisas mais difíceis – pelo menos pra mim – de aprender, é dar valor a mim mesma. Geralmente damos valor ao que temos, sejam coisas ou pessoas, mas nunca damos realmente valor ao que somos como pessoa. Acabamos por aceitar situações pelo receio de achar que é isso que merecemos, que é a única coisa que vamos poder conquistar. Isso tem muito a ver com insegurança, confesso, mas às vezes aceitamos de modo irracional. Então, hoje, pense: você aceita algo que no fundo você sabe que não merece? Se a resposta for sim, aprenda e mude.

2. Pensar demais é péssimo

via GIPHY

Já se pegou preso em N pensamentos, mas na vida real continuar estagnada e no fim não mudar nada? Pois é, é o problema de pensar demais. Geralmente isso consome uma carga ENORME, tanto física quanto mental. Quando voltamos à realidade, não temos mais coragem de decidir nada, acabamos desistindo daquilo que tanto pensamos. Claro que pensar de menos também é prejudicial, mas em algumas situações é melhor fazer antes de pensar, pra não perder a coragem e o estímulo.

3. A autoestima é sua melhor amiga

via GIPHY

Acredito que esse ó item mais importante dessa lista, afinal, se não gostamos de nós mesmos, vamos cometer os outros 9 “erros” dessa lista. Ter autoestima não é se achar lindo, perfeito, sem erros, inabalável … é entender quem somos e nos aceitar exatamente desse jeito. É ter confiança que, por mais que coisas boas ou ruins aconteçam, nossa opinião sobre nós não muda, nosso caráter e postura se mantém iguais. É duvidar das coisas, mas não de você mesmo. Se puder dar mais uma dica, evite a autocritica, – principalmente em excesso – ela é bem destrutiva.

4. Se arrisque mais

via GIPHY

Bom, não sei se isso só acontece comigo, mas geralmente tenho muito medo de arriscar e ter escolhido por algo ruim. Tem muito a ver com a autoestima e confiança em si mesmo na verdade, mas se arriscar é viver. Viver é um grande risco. Às vezes passamos anos e anos estagnados, por medo de tentar algo novo – e que geralmente não é algo tão absurdo. Começar por pequenas mudanças diárias é o passo pra ter mais confiança nas mudanças.

5. Não se apegue ao que te faz mal

via GIPHY

Seja por comodismo, por medo ou pelo o que for. Se você se sente mal nessa situação, jamais se apegue à ela. Passei meses apegada a sentimentos e situações que nada me acrescentavam. Não perca esse tempo, a vida passa rápido demais pra isso.

6. Pare de protelar

via GIPHY

Pois é, eu sei que é difícil sair desse conforto, dessa preguiça diária. O problema é: as coisas não mudam e se fazem sozinhas. Eu sou a preguiça em pessoa, confesso, e sou muito acomodada a protelar, principalmente meus projetos pessoais. O que tem funcionado muito comigo é fazer micro-coisas que me levarão ao meu objetivo final. Então se preciso arrumar meu guarda-roupa, começo por uma gaveta de cada vez. Se me empolgar e fazer duas no mesmo dia, maravilha. Do contrário, pelo menos fiz algo no dia. Demora pra terminar algo? Demora, mas pelo menos você faz.

7. Valorize seu trabalho

via GIPHY

Seu trabalho (não seu emprego) é uma das coisas mais importantes que você faz por você. Quero dizer, se você estudou por aquilo que curtia e a pratica com amor, seu trabalho deve ser valorizado. Perca o medo de se vender pro universo, tenha orgulho do que sabe fazer e, se for possível, espalhe e compartilhe ele por aí (esse eu to tentando aprender, aguardem posts no futuro haha)

8. Organize sua vida

via GIPHY

Aprenda a deixar suas coisas arrumadas, para que sejam um reflexo da organização da sua vida. Não deixe guardadas coisas e sentimentos inúteis. Jogue fora aquilo que não te preenche mais. Doe/venda roupas que você nunca usa e coisas que só poluem sua casa. Deixe o rancor de lado, perdoe e aprenda a seguir em frente. Com espaço vazio, mais coisas boas podem entrar.

9. Tenha um hobbie

via GIPHY

Descubra algo que você faz por prazer e que te relaxe. É muito importante ter algo na vida que nos tire da rotina diária, mas que não seja uma obrigação, sabe? Ler um livro, tocar um instrumento, cozinhar… se apaixone por alguma coisa além do que você faz por dinheiro (às vezes você pode descobrir que o que faz por amor pode dar mais dinheiro ainda).

10. Cuide da sua saúde

via GIPHY

Sua saúde é única. Ela que te permite levantar todas as manhãs, comer, caminhar, rir e trabalhar. Quando algo está errado, tudo ao seu redor parece ficar mais lento, mais complicado. A saúde é nosso bem mais precioso, aprenda a valoriza-la. Não deixe que o stress te consuma, que a pressa te envenene e que a preguiça te paralise. Cuide de você. O seu futuro agradece (é meu item número 1 para 2016, inclusive).

4 comentários sobre “10 coisas que aprendi aos 26

    1. HAHHAHA gifs são sempre amor!
      Olha, eu acho que não aprendi 100% disso tudo, mas acho que aceitar que preciso aprender e que são coisas que quero mudar agora já são um começo hahahhaha

      Beijo <3

  1. Olha, esse post foi um verdadeiro banho de tapas na cara. Mas foi ótimo, obrigada hahahaha. Vivian, eu tenho seis anos para aprender 9 dos10 itens da lista. Aliás, 9 e meio. 2015 foi um ano muito bom para mim no quesito amor próprio. Aprendi e descobri muita coisa sobre mim mesma sabe? Mas mesmo assim, tô longe de pensar “nossa, sou incrível”. Mas já melhorei muito, juro!
    Agora de resto… Eu peco em todos! Alguns de forma muito radical kkkkk. Eu não tenho um hobbie, não cuido da saúde, minha vida é toda desorganizada, sou a rainha da protelação e da acomodação, tenho medo de me arriscar…. Ih olha, toda cagada hahahahha. Mas com certeza o que mais me deixa triste é o fato de protelar e de não tentar o novo, porque eu acho que os dois atrasam muito a minha vida sabe? Exemplo, eu tô planejando fazer um intercâmbio em 2018 e já tô aqui cheia de medo, pensando em não ir e tudo hahaha. Detalhe, faltam dois anos. É complicado, mas estou trabalhando muuuuito pra mudar isso, de verdade. Acho que é o tipo de exercício que leva bastante tempo né? Bom, como eu disse, tenho 6 anos pela frente hahahaha.

    Beijos!!
    http://claravasques.com

    1. hahahahaha então aproveite uma outra dica: não se cobre tanto! Acho que a gente deve mudar sim, e aprender a se policiar pra principalmente não protelar o que queremos e nos acomodar em qualquer coisa, mas aos pouquinhos, sem que isso vire um martírio. Também não se cobre pelo tempo, eu já queria ter aprendido muito mais aos 26, pra te falar a verdade… Mas cada coisa ao seu tempo né?
      Fico feliz que tenha gostado, espero que te inspire a sempre melhor pra você mesma =D E se joga nesse intercâmbio, gata (coisa que eu ainda quero fazer e ainda não tenho nem planos, logo você tá melhor que eu hahahaha)

      Beijos

Deixe uma resposta