Melhor show da minha vida

Show do Metallica - 30/01/2010

Quando vi esse tópico nos temas da blogagem coletiva do Rotaroots esse mês, até dei pulinhos de alegria. Além de ser um tema que eu amo, me dá muito prazer saber que realizei um dos meus maiores sonhos: ver um show do Metallica.

Comecei a ouvir Metallica em meados de 2001. Até então, eu com 11 anos, tinha um gosto musical bem duvidoso e, na esperança de me levar para a luz, meu primo me emprestou 2 CDs que mudaram tudo na minha vida. Com eles aprendi a gostar de metal e procurar por mais e mais bandas – e virar essa louca de hoje em dia. Bom, um dos CDs foi do Black Sabbath e o outro, claro, do Metallica (Black Album). Nem preciso dizer qual conquistou meu coração, né?

Na época eu falava inglês igual falo mandarim hoje (bosta nenhuma) mas não fiquei feliz enquanto não decorei todas as letras. Acho que meu primo deve se arrepender até hoje do monstro que criou, porque passei a carregar o CD pra cima e pra baixo e onde achava um rádio, colocava ele pra tocar. Bom, basta eu dizer que ele ficou tão enjoado de ouvir que acabou me dando o CD, que é minha relíquia mais preciosa de todas <3

Enfim, foram 9 bons anos até finalmente poder sonhar com a possibilidade de vê-los ao vivo. Na época eu estava na faculdade, numa fase miseravelmente pobre e acabei vendo o show da arquibancada, bem de longe. Mas a sensação de estar lá, a vibração da música no meu peito e poder cantar junto com meus ídolos, dinheiro nenhum pagaria mesmo. É claro que como uma boa chorona, meus olhos ficaram cheios de lágrimas e ainda me emociono se lembrar daquele 30 de janeiro de 2010.

Show do Metallica - 30/01/2010

São tantos anos sendo “acompanhada” pela música deles que é como se eles sempre tivessem feito parte da minha vida, quase como uma família. É complicado explicar essa sensação para uma pessoa que não tem ídolos, mas é uma sensação maravilhosa saber que você sempre pode apelar para a música e se sentir confortável, mesmo que a vida esteja uma bosta. Aliás, quantas vezes Metallica foi minha trilha sonora quando tudo estava bagunçado…

Além desse show de 2010, tive o prazer de revê-los em 2014, no mesmo bat-local, mas de um lugar um pouco mais privilegiado. Pegue a emoção e multiplique por 1000. Ah! E torçam por mim para conseguir ir para o Rock in Rio esse ano e acumular mais um show na lista.

Show do Metallica - Março 2014

Aproveitando que transformei esse post em uma tese sobre meu amor por Metallica, pra finalizar gostaria de compartilhar que meu amor foi além e agora é, literalmente, uma parte de mim em forma de tatuagem. O símbolo foi tatuado na panturrilha, e a frase “So close no matter how far” (da música Nothing else matters) na parte da frente do ombro (essa é meu xodó, pois escolhi essa frase pra representar as pessoas que eu mais amo nessa vida: minha mãe e meus avós – que já estão longe, mas continuam perto!). ;’)

Tatuagens do Metallica

 

Este post faz parte da blogagem coletiva do grupo Rotaroots 
"O Rotaroots tem o objetivo de resgatar a época de ouro dos blogs pessoais, incentivando a produção de conteúdo criativo e autoral, sem ser clichê e principalmente, sem regras, blogando pela diversão e pelo amor."

Deixe uma resposta