O aprisionamento pela auto cobrança

Viapoli

Se auto cobrar não é de todo ruim, pois somos tão bombardeados com informações e maneiras de fazer isso ou aquilo, que acabamos perdendo o foco mesmo. Somos engolidos pela rotina e vemos nossos sonhos e objetivos – quando estes estão claros – sumirem.

A auto cobrança é boa nessa situação. Você pode, por exemplo, se comprometer com você mesmo para realizar pequenas coisas, só para não perder o foco quando a coisa parecer difícil demais.

Sabe qual é o problema? Quando você vira o vilão da sua própria vida. Aí a auto cobrança vira algo extremamente ruim. Primeiro, você começa organizando demais a vida: listas, objetivos, datas, metas, sentimentos… E quando e como você encaixa a vida real nisso tudo? Quando será a hora de simplesmente aguardar as coisas se ajeitarem por elas mesmas?

E por que falo isso? Por experiência própria.

Porque eu não sei não me cobrar.

Acredito que se existe um clube secreto e anônimo para pessoas que se cobram demais (existe?) eu estaria nele.

Quer um exemplo? Eu não me permito sofrer. Não. Nem um pouquinho. Aí, sabe o que acontece? Eu sofro o dobro. Bizarro, né? Mas é verdade. Enquanto eu tento me proibir e limitar alguns sofrimentos, eu acabo absorvendo ainda mais aquela frustração ao invés de simplesmente sentir aquilo, aproveitar a fossa do dia e seguir em frente no dia seguinte. É complexo mas existe. Se você já passou por isso, sabe exatamente do que estou falando.

Esse blog existe justamente por isso, porque acho importante que a gente tenha coragem de expor algumas coisas. Pra se ajudar, pra ajudar outras pessoas. Hoje, se eu pudesse mudar algo em mim seria exatamente isso, porque eu me auto controlo demais e, como é um ciclo vicioso, das duas uma: ou eu fico estressada ou doente.

Minha psicóloga me explicou que quando o cérebro não consegue processar uma situação corretamente (no caso de bloquear a tristeza, por exemplo) o organismo vai tentar processar aquela coisa da forma que der, normalmente jogando a responsabilidade pro corpo. Inclusive algumas vezes que tocamos em assuntos delicados, ela mesma já me alertou que eu poderia ficar doente na sequência. Nem preciso falar que foi dito e feito, né?

Enfim, essa é mais uma daquelas lições que só se aprende se observando muito bem e com o tempo – sempre ele. Se você acha que a auto cobrança está te prejudicando, tente soltar um pouco mais as amarras, respire, mas também não se cobre para parar de se cobrar, entende? Sim, é confuso. Como a vida gosta de ser.

 

4 comentários sobre “O aprisionamento pela auto cobrança

  1. Olha só, sua psicóloga falando da “somatização”, que interessante! 🙂 Realmente, o corpo é o palco das expressões da ‘alma’ [da psique]. Se algo não vai bem, a forma de escoar e manifestar aquilo que está guardado é pela via corporal. Quantas dores ou doenças “do nada”, as quais nenhum exame atesta algo significativo, as pessoas acabam passando/sofrendo no dia-a-dia. Por isso, sou muito a favor das expressões corporais (aí entra tudo: dança, ginástica, arte marcial, teatro etc.) aliadas as outras práticas, sejam espirituais, terapêuticas, entre outras. Mente e corpo são inseparáveis (e olha eu levando a conversa para outro lado, HAHAHA!).

    Enfim, como sempre mais um excelente texto!

    Abraços.

    1. Obrigada Lud, que bom saber que não estou viajando muito na maionese – e que, claro, minha psicóloga está me orientando corretamente. POde levar a conversa pra outro lado o quanto quiser, depois que comecei a fazer terapia fiquei meio fascinada em como o cérebro funciona e como reagimos tanto aos estimúlos – bons ou ruins. Pra mim isso só reforça ainda mais que somos pura energia e que trabalhar corretamente com elas é o grande segredo da vida. Obrigada mais uma vez pelo feedback, viu?

  2. Olha, esse negócio de auto cobrança é realmente complicado… Porque acaba gerando frustração atrás de frustração. E isso abala nossa confiança. =/
    Mas é muito difícil de evitar… Como vc disse, não temos que não nos cobrar, apenas moderar a intensidade da cobrança.

Deixe uma resposta