Livros Lidos: Junho 2015

Assim como em maio, meu ritmo de leitura de junho também foi bem lento – quase parando – só consegui ler um livro, mas confesso que foi um aprendizado e tanto:

Pare de se sabotar

Pare de se sabotar e dê a volta por cima

Pare de se sabotar e dê a volta por cima é um livro de auto ajuda, gênero que eu particularmente gosto bastante. Não acho que é possível levar tudo ao pé da letra porque cada pessoa leva a vida de um jeito muito peculiar e único, mas é possível sim absorver coisas legais para a própria vida e, se for pro bem, que mal tem, não é?

Mas o fato é que, se você permanecer agindo como sempre agiu, continuará conseguindo o que sempre conseguiu

Neste caso, eu levei a leitura com um pouco mais de consideração porque o autor, Flip Flippen, é psicólogo e possui uma instituição chamada Flippen Group, que é especializada em comportamento humano e principalmente em ajudar pessoas a superarem suas próprias limitações.

Podemos decidir viver como sempre vivemos ou optar por identificar e superar aquilo que sempre nos limitou

Com base nos casos atendidos, Flip conseguiu determinar alguns perfis que possuem características “sabotadoras”. Antes de apresentar as características, ele apresenta casos reais de pessoas que as tinham e como o trabalho dele ajudou. Ele propõe que você avalie uma lista e enxergue comportamentos que indicam se você encaixa ou não no perfil.

Não importa quão formidável sejam nossos talentos, ficamos restritos por comportamentos que limitam nosso desempenho ou definem os motivos para nosso fracasso. Em outras palavras, nossas limitações pessoas determinam, em última instância, nosso nível de sucesso

Pare de se sabotar

Consegui identificar 2 perfis e que segundo o livro, normalmente andam juntos mesmo: Ostra (pouco autoconfiante) e Docinho de Coco (superprotetor). Além de identificar esses pontos fracos e que me prejudicam, o livro também dá dicas básicas e simples de realizar para que você possa ir mudando seus hábitos. São coisas como fazer listas, criar um diário etc.

Outro ponto importante é a criação de um plano, chamado de Plano de TrAção. Que consiste em registrar seu objetivo com a mudança, seus pontos fortes, suas principais limitações e quais serão suas principais atitudes. Ele faz algumas sugestões, mas a ideia é que você mesmo possa criar algumas, com base na sua vida.

A Superação das Limitações Pessoais não é diferente. Primeiro, você identifica sua principal dificuldade e investe em modificá-la. Após tê-la superado, pode se dedicar à limitação significativa seguinte.

Pare de se sabotar

Para vivermos plenamente, podemos e devemos aprender a minimizar nossas fraquezas comportamentais ao mesmo tempo que maximizamos nossos pontos fortes. É verdade que muitos obstáculos são difíceis de transpor, e um foco exagerado em nossas limitações pode ser frustrante e até mesmo deprimente. Contudo, ignorá-las é ainda pior.

É claro que essa resenha é algo bem superficial, mas esse é um livro para deixar de cabeceira, com certeza. Tenho consultado ele com regularidade, principalmente para atualizar meu plano de TrAção e reavaliar meus comportamentos conforme os perfis. Como disse, apesar de ser auto ajuda, o livro é na verdade bem didático e eu confesso que adoro fazer esses tipos de exercício – principalmente os de listas.

Nota: 9/10
Autor: Flip Flippen com o Dr. Chris J. White
Páginas: 223

2 comentários sobre “Livros Lidos: Junho 2015

  1. Eu sempre fui meio “eww” com esses livros que parecem ser de auto ajuda, preconceito bobo eu sei, mas a pessoa aqui é de uma cabeça durisse única. Mas devo confessar que as citações que você colocou pelo post realmente chamaram minha atenção!

    1. hahhahaha acontece, Roh. Eu normalmente torcia o nariz também, achava que não precisava desse tipo de leitura, mas acho que dei sorte com as escolhas e tenho admirado o estilo. É um livrinho curto, quem sabe você se anime? Beijos

Deixe uma resposta para Vivian Oliveira Cancelar resposta