Como me inspiro para escrever

escrever

Oie!

Desde que voltei a blogar, em janeiro de 2015, tenho basicamente me inspirado nas minhas próprias experiências para escrever. Como não sou diferentona nem nada, acredito e conheço muita gente que passa pelas mesmas situações que eu.

Às vezes também estou vendo uma pessoa na rua e me lembro de algo que passei ou ainda, muitas vezes, justamente olhar os outros em suas rotinas me inspiram e provocam sentimentos em mim. Geralmente os textos e diálogos se constroem na minha mente durante tarefas ordinárias do meu dia, como lavar a louça (que foi o caso desse texto, por exemplo).

Se houvesse uma receita de bolo da inspiração, eu certamente a usaria nos tempos vagos, para construir mais textos e publicações frequentes para o blog, mas eu tenho é que andar sempre com algo para anotar a ideia, é ir trabalhando nela quando o tempo deixa.

Me coloco muitas vezes no lugar de grandes e pequenos autores, que trabalharam muito para escrever suas 100 ou 1000 páginas, seu sucesso único ou suas trilogias. É fascinante pensar como as histórias nascem e tornam-se algo vivo nas páginas e nas vidas das pessoas.

Claro que jamais poderia me comparar com um autor que trabalha todos os dias com isso, mas fico feliz que Deus e o universo – além da minha infinita curiosidade, tenham me permitido conseguir, muitas vezes, traduzir sentimentos em palavras. O português pode não ser o mais coloquial, mas se minha ideia ou meu texto, inspirado naquela dor, alegria ou mesmo na pilha de louças do domingo alegrarem ou inspirarem alguém também, eu ficarei feliz.

Deixe uma resposta