Papo de mulher: acne hormonal

Oie

Já tem aproximadamente 1 ano que me libertei dos hormônios sintéticos e tenho experimentado novas sensações no meu corpo. No geral, todas as mudanças continuaram positivas assim como quando postei aqui quando completei 6 meses sem usar anticoncepcional. Uma única coisa que piorou foi a acne.

Não experimentava a dor da acne hormonal desde os meus 13/14 anos e confesso que não estava com saudades. O processo de ficar tomada por elas foi bem do nada pra falar a verdade: um dia minha pele estava ótima e noutro, não mais. As áreas mais afetadas foram o lado esquerdo do rosto, pescoço, ombros e costas.

Bom, eu tentei diversos produtos mas não consegui combater isso sozinha. Precisei procurar ajuda de uma dermatologista. A primeira solução é sempre voltar a tomar anticoncepcional, mas esse item pra mim, nesse momento da vida, é inegociável. Então começamos o tratamento com o uso de um antibiótico e alguns produtos para a pele.

Obviamente não vou citar o nome do antibiótico, pois é um tratamento muito sério, você não pode nem sonhar em engravidar e tem que cuidar muito bem da saúde enquanto faz uso da medicação, pois é muito forte – mas adianto que não era o famoso Roacutan. Já os demais produtos foram:

  • Sabonete Puriance – para lavar o rosto de manhã e pela noite
  • Epiduo Gel – um gel para passar antes de dormir e remover pela manhã, pode causar um pouco de irritação
  • Nutrel Gel – para substituir o Epiduo nos dias que a pele ficava muito sensível
  • Ensolei – esse foi o protetor solar que ela me indicou a usar a partir de então

O tratamento com antibiótico durou ao total 4 meses: 2 tomando um comprimido diariamente e mais 2 tomando um comprimido dia sim, dia não.

Apesar de ter sido muito funcional em tratar a inflamação e o aparecimento de novas espinhas, esse tratamento não foi eficaz para tirar as manchas e marcas que ficaram. Foi então que minha querida amiga Fabi Latorre – enfermeira estética – veio me salvar.

Fiz um tratamento com ela de aproximadamente 2 meses: sessões de limpeza de pele, peeling, esfoliação, remoção dos “milhos” (aquelas pequenas bolinhas embaixo dos olhos) e 2 sessões de microagulhamento, um tratamento que está bem em alta no momento que consiste em perfurar a pele com mini agulhas, estimulando a renovação e cicatrização da pele. Vou contar que ao final do tratamento nem pareço eu mesma.

Claro que como minha acne é hormonal, eu tenho que manter os cuidados sempre para não ter recaídas e crises (inclusive, estou passando por outra crise no momento, blé) que basicamente se resume a comer e dormir bem, usar os produtos corretos e torcer pelo melhor 😛

Hoje minha rotina de cuidados com a pele ficou assim:

  • Lavar com sabonete pela manhã, nesse momento estou usando o Acnefilll da marca Samana;
  • Protetor solar, da Ensolei;
  • Hidratante oil-free da Neutrogena quando sinto que estou meio ressecada;
  • Base secativa Acnefill da Samana;
  • A noite quando chego, lavo novamente o rosto com o sabonete e aplico, para dormir, a vitamina C da Peel line – removendo pela manhã no banho;
  • Já nas costas, eu lavo com o creme de damasco para gomagem da Peelline e passo o ácido glicólico da Hinode – esse só pela noite e lavando pela manhã;
  • Quando percebo espinhas inflamadas, uso o gel secativo Acnefill da Samana.

Ufa, é um arsenal, eu sei.

Apesar dos pesares e do tratamento ter sido longo, estar sem anticoncepcional foi uma libertação pra mim: me sinto mais conectada comigo mesma e com as minhas emoções, consigo sentir a variação do meu ciclo e meu humor é muito mais estável. Sinto menos dores e minha saúde também melhorou muito.

Claro que não vou dizer que toda essa mágica também foi porque parei de tomar remédio, porque também mudei meu estilo de vida: hoje como melhor, me exercito e tenho uma rotina de sono mais adequada. Então juntar isso com o tratamento externo certo, foi sucesso!

E você, teve muito problema com a acne após para de tomar anticoncepcional? Conta aí pra mim!

Deixe uma resposta