“Não aprendi dizer adeus” – mas deveria

adeus

Não, esse não é um post sobre a música de Leandro e Leonardo, muito menos um daqueles momentos em que eu começo a cantar músicas sertanejas e os amigos me olham com cara estranha. Hoje quero compartilhar que, se você não sabe dizer adeus, deveria saber.

Quando digo “adeus”, não digo algo como se alguém tivesse morrido e não conseguíssemos aceitar a justiça divina que leva as pessoas que amamos, mas o adeus às pessoas que ainda estão aqui, que morreram (ou precisam ser mortas) e ainda vivem, só que não ao nosso lado.

Sabe por que não consigo fazer isso, e provavelmente você também? Porque nos apegamos, não aceitamos que todo esforço não valeu, que não podemos desistir – por pior que a situação esteja – e, ainda pior, não aceitamos que a maioria das coisas na vida, ainda mais quando se trata de outra pessoa, não podem ser controladas por nós.

É difícil também admitir que um adeus é a melhor opção. O cérebro – pelo menos o meu – tende a reagir implantando imagens e situações boas, que nos fazem esquecer porque estávamos tão magoados. Só que é difícil se enganar por muito tempo, uma vez que tem algo errado, o padrão se repete e você vai ser lembrado a força que não está feliz ou está incomodado com alguma coisa e que não há outra coisa a fazer a não ser dizer adeus.

Aliás, você sabe que tem essa escolha, né? Há pouco tempo eu achava que era vítima das situações, das pessoas que passavam pelo meu caminho e eu tinha que aceitar aquilo até o fim. Não! Não preciso e nem você. Você não precisa aceitar uma situação pra sempre e se fazer de vítima sofrida. A escolha também é sua. Aprendi que temos que usar isso a nosso favor, de forma inteligente, não como cobrança pessoal ou confirmação de um erro.

Dizer adeus, acima de tudo, é aceitar e respeitar que quando as coisas não caminham como deveriam, também é um dever e obrigação nossa deixar uma outra pessoa livre e também se libertar de uma possível relação abusiva. Quando a gente se liberta, por mais que no primeiro momento seja horrível e você ache que fez uma escolha horrível, porque “as coisas ainda vão melhorar”, você se dá a chance pro futuro – que será melhor – chegar, para que coisas sejam mais naturais, menos sofridas.

Não é desistir no primeiro tropeção, é entender que quando há mais sofrimento que prazer, é hora de rever as rotas da sua vida.

8 comentários sobre ““Não aprendi dizer adeus” – mas deveria

  1. Primeiro que sim, eu instantaneamente pensei na musica do Leandro e Leonardo. E segundo, que seu post foi meio que um tapinha na minha cara, porque eu sou desse tipo que quando se apega a alguém, meio que não larga de jeito nenhum. Fico sempre tentar melhorar as coisas e acabo arrastando as relações mais do que devia, sabe? Estou aos poucos apreendendo a melhorar isso, e só deixar as ~ coisas rolarem, mas é sempre bom ser lembrada 🙂

    1. hahaha desculpe pela música grudenta =P mas, pois é, também é um tapa na minha própria cara. Acabei de passar por essa situação, e esse “apego” só faz mal pra gente. Se já começa errado, com dor, com briga, com você se pegando fazendo mais esforço do que devia e mudando coisas que não quer, é hora de dizer bye bye. É difícil, mas não pode esquecer.
      No fim é bom saber que não estamos sozinhas =) Beijocas

  2. É… é bem difícil determinar a hora de sair fora de uma situação. Eu sou assim, sofro mais tentando não ter que decidir do que depois que sigo outro caminho. É estranho como a gente tem dessas coisas, né? rs beijos

    1. Pois é, Re. Depois que a coisa passa, você ainda fica com a sensação de “por que não fiz isso antes?”. Bem difícil lidar com sentimentos, né? A gente nunca sabe qual será a melhor opção =/ Obrigada pelo seu comentário =) beijos

  3. Oi Vivan! Comentei lá no meu blog, mas queria ter certeza que você veria, então resolvi te responder aqui também! rs Você não ideia de como o seu comentário ajudou, viu!? rs É muito bom ter palavras que nos colocam para frente e, principalmente, ver que não sou a única que passa por esses probleminhas. É realmente mais difícil fazer algo (acho que pelo medo de fracassar mesmo), mas é importante que a gente veja isso e siga em frente! Tenho visto a possibilidade de ir ao psicólogo também, acho que ajuda bastante. Obrigada mesmo, de coração! <3

Deixe uma resposta