Livro lido: Alucinadamente feliz

capa-feliz

Oie!

Sabe aqueles livros que você sente vontade de comprar vários e dar de presente para cada amigo seu? Pois bem, esse é o livro.

Há alguma coisa na depressão que permite (ou às vezes força) explorar emoções numa profundidade que a maioria das pessoas “normais” não faz ideia de que existe.

Se você já teve/tem algum probleminha psicológico (claro que você tem) na vida, como depressão, ansiedade, TOC etc. não pode deixar de ler as loucas histórias de Jenny Lawson. Nele, a autora descreve como é viver alucinadamente feliz mesmo que em alguns dias ela simplesmente não sinta vontade nem de levantar.

Além de expor suas angústias de forma cômica, a autora também documenta conversas com amigos e com seu marido Victor (que nessa altura do campeonato eu já acho um santo, porque ela tem umas brigas extremamente engraçadas e sem sentido com ele).

Às vezes, somos feitos das coisas que queremos fazer, mas não necessariamente fazemos. É como quando alguém é babaca e você quer tocar fogo na garagem daquela pessoa, mas não faz isso por ser ilegal, e também porque você não consegue encontrar fósforos.

Como se não bastasse, Jenny também adora gatos <3 e animais empalhados – mas só os que morreram de causas naturais – como esse lindo e fofo guaxinim que vemos na capa do livro. Ela fez questão que o bichinho fosse colocado em uma posição muito feliz para que ela também ficasse feliz ao olhar pra ele.

Aposto que além de se sentir compreendido, você também vai aprender a ver com mais leveza e graça esses desafios do dia a dia que só pessoas com algum desses problemas conhece. Ter um desequilíbrio nos coloca eventualmente em um modo hard de viver, mas com um pouco de ajuda e força de vontade, podemos viver com intensidade e alucinadamente felizes.

Todo transtorno mental é diferente, porque toda pessoa é diferente. Não existem curas fáceis, mas há muitas ferramentas disponíveis agora que as pessoas finalmente estão começando a falar sobre o assunto.

Veja mais informações sobre o livro

post-feliz

A questão é que às vezes merdas acontecem, e às vezes não. A minha regra é: “Aproveite o que não está na merda agora, porque há merdas a caminho.”

Em outras palavras, pare de se julgar usando como base as pessoas perfeitas. Evite as pessoas perfeitas. Elas são uma fraude. Ou tente conhecê-las o bastante para perceber que, no fim das contas, elas não são tão perfeitas.

Porra, provavelmente tem alguém por aí que nos considera pessoas perfeitas (Deus abençoe seus corações idiotas), e isso é uma grande prova de que nenhum cérebro é confiável na hora de avaliar o valor de ninguém, muito menos o próprio valor.

Nós vivemos em andares negativos com tanta frequência que começamos a compreender que, quando o sol brilha, a vida deve ser vivida a toda velocidade, ao máximo.

Alucinadamente feliz. Um Livro Engraçado Sobre Coisas Horríveis - Jenny Lawson
Nota: ★★★★★
Páginas: 352
Compre o livro em oferta na Amazon

Deixe uma resposta